Aves

Unidade Móvel e Modular de Abate, Processamento e Estocagem de Aves

O processo de abate de aves inicia-se pelo cumprimento do descanso e da dieta hídrica dos animais externamente à unidade de abate de aves, após este descanso e dieta, que é preconizado pelas normas vigentes, as aves são alocadas internamente na Unidade Móvel e Modular de abate de aves para início do processo de abate.

Primeiramente para iniciar o processo de abate, as aves são insensibilizadas pelo método de eletro narcose e após são sangradas atendendo as normas de bem-estar animal e abate humanitário, o tempo mínimo de sangria é de 3 minutos e o mesmo é efetuado em posto de sangria. Depois, as aves são conduzidas para o tanque de escaldagem com temperatura entre 54ºC e 62ºC e com sistema de renovação de água. Após a escaldagem as aves seguem para a depenadora e na sequência após depenadas passam pelas operações de toalete e lavagem superficial com água corrente. Todas estas etapas são efetuadas em ambiente denominado área suja. Este ambiente possui ventilação geral diluidora para atendimento de conforto térmico aos operadores. Possui também sistema de iluminação UV (Ultravioleta) com a finalidade de garantir perfeitas condições sanitárias ao ambiente após processo de abate.

Após o processo executado na área suja, as aves passam para a área limpa (área com temperatura controlada a 12°C) para operações de oclusão da cloaca, corte abdominal, exteriorização das vísceras e realização da inspeção “Post-Mortem” pelo inspetor público, nesta inspeção as carcaças recebem a destinação adequada. Depois da carcaça ser inspecionada são separados os miúdos comestíveis (fígado, coração e moela) para limpeza e remoção das serosas correspondentes, os miúdos seguem para resfriadores de imersão em água à temperatura de inferior à 4ºC, obedecendo a renovação constante de água. Com a carcaça então liberada pelo serviço de inspeção é feita a “toalete” com a remoção do papo, traqueia, cabeça e pés que são levados juntos com as vísceras não comestíveis para o destino adequado e com a revisão das mesmas quanto a uma possível contaminação biliar/fecal/gastrointestinal. Na sequência, as carcaças passam por chuveiro com água clorada (0,2 a 2 ppm) seguindo para o resfriamento devendo atingir neste processo temperatura inferior a 4°C. Com o resfriamento das carcaças, as mesmas seguem para embalagem de carcaça inteira e corte em mesa específica, após isso seguem rumo a câmara de estocagem com temperatura inferior 4ºC.

A área limpa também possui sistema UV.

Os dejetos serão destinados conforme legislação ambiental.